Deu Zika, na República Tupiniquim

dilma 111Na semana passada, li um post que dizia assim, (só Jesus salva o Brasil). Desta feita, sempre valorizo, pois eu sei o significado implícito e explicito do ícone da figura central do cristianismo. Comecei a analisar figuras importantes de nossa história, como Joaquim José da Silva Xavier o (Tiradentes), ou Barão de Mauá que tinha a ambição de modernizar o Brasil, só não fez mais coisas porque o imperador Dom Pedro II invejava seus feitos.

A crise política enfrentada no país é algo, sem precedentes, onde o ódio começa a tomar conta das ruas. Sobre esse aspecto comecei a analisar as figuras, de Tiradentes, barão de Mauá, Mahatma Gandhi, Martin Luther King; ícones da história, pessoas que tiveram coragem de sobrepor as suas próprias vontades em favor de uma sociedade mais justo. Esses heróis da história, tiveram em seu destino traços de moralidade, ética e coragem, foram honestos junto a sociedade trabalharam em prol dos avanços sociais e da igualdade entre os povos.

doi

Comecei a perguntar. Esses ícones foram políticos? Foram éticos? Tiveram moral? Tratava as pessoas com respeito? Foram honestos? E todas as perguntas foram-me sendo elucidadas à medida que as colocava em confronto. Fazendo uma contextualização, refaço novamente as perguntas. Os políticos do Brasil, são éticos? Tem conceitos de moral elevada? Tratam as pessoas com respeito? São honestos? A essas perguntas me faltaram respostas e então pude conjecturar nossa crise econômica, social e política. A única resposta plausível e real de veracidade ímpar, estamos em decadência social…

2016 não é somente o ano da erupção da crise no Brasil. É o ano em que estamos colhendo os frutos malditos de não ter investido na educação, numa escola de boa qualidade. Uma nação que escolhe o capitalismo sem o desenvolvimento educacional, não dando valor escola como o futuro de país, propõe o atraso e ser subjugados pelo mundo moderno. O reflexo do BRASIL que vivemos hoje, é uma imagem de um espelho que se quebrou quando os governantes optaram por um crescimento sem base e alicerce central na educação.

corrupcao-thumb-600x368-98405

Em quais escolas de ética e moral, a classe política atual, estudou? Quais os princípios basilares dos governantes e dos governados? Essas questões dão um poder de analise para podermos traçar parâmetros no que a sociedade tornou –se, neste atual momento. Estamos vivendo um momento histórico, onde já se busca a ruptura do “jeitinho brasileiro, porque não existe lei da vantagem que sobreviva, quando a sociedade procura viver de forma justa e igualitária. E sobre esse aspecto a educação e uma escola de boa qualidade é essencial. As cenas e o “show” mostrado pelas mídias no mês, esclarece a situação desprezível que os políticos tem, pela busca pelo poder.

A Constituição Brasileira de 1988, em seu artigo 1. Parágrafo único diz, “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”. Esse artigo é lindo, enobrece nossa cidadania, mas o brasileiro não compreende escolher de forma certa seus governantes. Continuamos a eleger gente baseado na política existencialista, “ me dê um pedaço de pão que te dou meu voto”. A política de “troca” de votos ainda é majoritária no território nacional.

No Brasil atual, vota-se na mesma forma que nossos tataravôs, escolhemos nossos representantes, por favores pessoais, desta feita estamos viciados, num rito cego de escambo. Esse fenômeno, atrasou o Brasil, e ainda atrasa. A república idealizada deu ZIKA e ficamos à mercê de governantes oligárquicos, que utilizam o Estado de Direito para seu próprio bem, esqueceram do futuro e das próximas gerações. Sem a busca de valores morais pautado pelas éticas, estaremos para sempre numa república ZIKADA.

Anúncios